quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

5 coisas incríveis que você não sabia sobre a Marijuana (Maconha)

Leia a Matéria Original AQUI

Não é coincidência que o apoio à legalização da maconha aumentou com o crescimento das mídias sociais. As vozes da era Reefer Madness são silenciados diariamente enquanto estudos e depoimentos continuam a aparecer sobre esta planta, muitas vezes incompreendida. No entanto, a ignorância ainda permanece e essa luta não vai ser ganha sem educação contínua das pessoas.
As vezes é preciso que algo aconteça com você ou alguém próximo para que você forme uma opinião própria sobre o assunto. Talvez algumas das informações a seguir possam te ajudar com isso. Aqui estão cinco coisas sobre a cannabis que você talvez não soubesse:
1 – THC e CBD, principais canabinóides presentes na maconha, destroem células cancerígenas.
Não, não é que a maconha ajude a controlar os malefícios do câncer. Na verdade, ela é ANTI-câncer.
Uma pesquisa recente da Espanha sugere que o THC, substância psicoativa da maconha, elimina as células cancerígenas cerebrais. Guillermo Velasco, co-autor deste estudo, afirma que quando o THC foi aplicado ao tecido canceroso do cérebro, as células com câncer foram aniquiladas, enquanto as células saudáveis ​​permaneceram sem alterações.
O CBD, aparentemente, faz o mesmo. Dois cientistas do California Pacific Medical Center, em San Francisco demonstraram a capacidade do canabinóide de parar a metástase em muitos tipos de câncer agressivos.
Imagine se esta planta fosse descoberta em uma selva duas semanas atrás. O que os jornais estariam noticiando? O artigo CBD vai tão longe a ponto de dizer que a descoberta poderia "potencialmente alterar a fatalidade da doença para sempre." A falta de atenção da mídia para isso é espantosa, mas isso não diminui a pesquisa.
2. Maconha provoca neurogênese. Para leigos: Isso estimula o crescimento das células cerebrais.
Mas espera... a maconha, teoricamente, mata as células do cérebro, certo?
Errado.
As raízes do mito de que maconha destrói neurônios são profundas, apesar da falta de provas concretas. O estudo original que apoia este mito é questionável, já que pesquisas recentes sugerem exatamente o oposto.
Em 2005, um estudo mostrou a capacidade dos canabinóides em promover a neurogênese no hipocampo de adultos, região do cérebro responsável por muitas funções cerebrais importantes, incluindo o humor e a memória. Os autores também citam efeitos de anti-ansiedade e anti-depressivos que acompanham a neurogênese. Isso explica por que as pessoas em toda a Califórnia, Colorado, Washington e outros estados que aceitam a maconha recorrem frequentemente à erva para melhorar o humor ao invés de drogas farmacêuticas. O estudo também apoia a pesquisa de que a maconha ajuda a melhorar a função cognitiva em pacientes com transtorno bipolar. Isso nos leva ao nosso próximo fato ....
3. As taxas de suicídio são mais baixas em áreas onde a maconha medicinal está disponível.
Um estudo realizado no estado de Denver analisou as estatísticas de suicídio após a introdução da maconha medicinal.
A partir do estudo:
"Nossos resultados sugerem que a passagem de uma lei que regularizou a maconha medicinal está associada com uma redução de quase 5% na taxa total de suicídio, uma redução de 11% na taxa de suicídio de homens de 20 a 29 anos e uma redução de 9% na taxa de suicídio de homens entre 30 e 39 anos."
O interessante é que isso não se tornou pauta principal em um país tão focado na prevenção de suicídios. Não surpreendentemente, uma das principais razões citadas pelos autores do estudo para a redução das taxas, está ligada à população em situação de risco (homens entre 20 e 30 e poucos) substituindo o álcool pela maconha. Esta informação faz com que o rigor da nova política de maconha medicinal no estado de Illinois seja ainda mais “non-sense”.
"Não deixe que o uso saia de controle! Senão menos pessoas vão cometer suicídio!”
Falando sobre os efeitos da maconha sobre o bem-estar, é bom ler este artigo mais intimista, de cortar o coração.
Mas e sobre os efeitos físicos?
4. Há zero evidências de que a maconha causa lesões pulmonares significativas.
Enquanto vaporizar é sempre apontado como o método mais seguro de consumir maconha, o maior estudo deste tipo sugere que fumar apenas maconha, é tão inofensivo quanto:
"Trabalhamos com a hipótese de que haveria uma associação positiva entre o uso de maconha e câncer de pulmão, e que a associação seria mais positiva com o uso mais pesado. O que nós encontramos ao invés disso, é que não há nenhuma associação, e até mesmo sugere um efeito protetor."
As palavras acima vêm do Doutor Donald Tashkin (Universidade da Califórnia – UCLA), autor do estudo e pesquisador da maconha há mais de 30 anos.
Considerando que o alcatrão encontrado na fumaça da maconha pode conter tantas substâncias cancerígenas prejudiciais quanto o fumo do cigarro, este estudo na verdade fortalece a noção de que a maconha é anti-câncer. A planta em si parece ter um efeito de compensação para as propriedades nocivas do fumo.
5. Existem dois tipos completamente diferentes de cannabis, ambos com efeitos diferentes no usuário.
Um dos maiores erros cometidos por pessoas que experimentam a maconha pela primeira vez é imediatamente pensar que "não é para eles." Certamente não é para todos, mas será que não tentaram o tipo errado?
Há centenas de diferentes strains de maconha, marcadas com nomes como Blue Dream, OG Kush, Trainwreck ou Pinneapple Chunk. Todos estes são classificados como "sativa" ou "indica." Aqui está uma explicação o mais simples possível para a diferença:
Sativas são geralmente strains usadas durante o dia, utilizadas para melhorar a experiência de eventos sociais, o tempo na natureza ou ouvir música nova. Os cuidadores, muitas vezes recomendam strains sativa para os pacientes que procuram alívio da depressão, stress pós traumático, fadiga e alguns tipos de ansiedade e dor. Alguns pacientes ainda relatam efeitos positivos sobre o TDAH. Embora sativas produzam um efeito agradável, elas geralmente são culpadas por um usuário inexperiente ter “teto preto” durante um de seus primeiros usos.
Indicas são muitas vezes fumadas à noite devido ao seu efeito narcótico sobre o usuário.  São perfeitas para usuários que sofrem de qualquer tipo de dor, náuseas ou ansiedade. Elas também são preferíveis para os usuários novatos se acostumarem com a erva. Esta variedade é muito popular para a meditação ou yoga, devido às suas propriedades calmantes.
Aqui tem uma explicação mais extensa sobre as duas categorias se você estiver interessado.
Maconha não é para todos. Nada é para todos.
Mas devemos estar jogando aqueles que precisam dela em jaulas?
Eu te desafio a dizer que sim.
Leia a Matéria Original AQUI

ADVERTENCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso.
2- Evite o uso de recipientes de alumínio.
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado).
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

sábado, 1 de novembro de 2014

O ABACAXI


abacaxi é reverenciado até mesmo pelas exigentes crianças. Sabe por quê? Mais que delicioso e nutritivo, é uma ótima sugestão para repor as energias. Conheça as verdades mentiras sobre o abacaxi:

Todo mundo pode comer
Falso. Existem restrições ao consumo do rei do pomar. “Há componentes que podem sensibilizar algumas pessoas, principalmente as já alérgicas a outros alimentos ou ao pólen”, explica o médico nutrólogo Danny César Jumes (SC). Se a ingestão ocasionar coceira e edema (inchaço) na garganta, o auxílio médico deve ser procurado. Para quem sofre de refluxo gástrico e úlceras pépticas ou duodenais, o abacaxi também não é indicado.
Tem grande oferta de nutrientes
Verdadeiro. Ele oferece boas quantidades de vitaminas A e do complexo B, e razoável de C. Também possui cálcio, ferro e magnésio, que são importantes para o funcionamento do corpo. Além disso, contém muitas fibras, que, associadas à ingestão de líquidos, ajudam a ida ao banheiro com mais facilidade.
É um alimento completo
Falso. O consumo de abacaxi unicamente não ajudará a prevenir doenças. No dia a dia, deve fazer parte de uma dieta balanceada, com frutas, verduras, carnes, cereais e grãos. O abacaxi possui vitaminas e minerais que, em conjunto com outros alimentos, pode prevenir doenças — é um trabalho de equipe.

Retarda o envelhecimento
Verdadeiro. Por possuir relevante concentração de vitamina A, auxilia na boa visão e tem ação antioxidante, combatendo os radicais livres que aceleram processos típicos do envelhecimento. Quem é privado de vitaminas do complexo B (algumas presentes no abacaxi) tem dificuldades ao caminhar ou pode passar por estados confusionais. Crianças que não têm acesso a elas sofrem em seu desenvolvimento neurológico, muscular e cardíaco.
Possui muitas calorias
Falso. Fonte de energia, mas nem tanto: 50 kcal por fatia de 100 g. Após atividades físicas ou como lanche, é um repositor energético de parte do gasto diário. Porém não será ele o vilão que levará sua dieta de perda ou manutenção de peso por água abaixo.
Até a casca é aproveitada
Verdadeiro. Ainda que a casca e outros restos do abacaxi sejam utilizados nas indústrias alimentícia e farmacêutica (para extrair enzimas como a bromelina), segundo o nutrólogo, não há comprovação de que comê-los traga benefícios. A bromelina promove a quebra de proteínas e é muito utilizada no amolecimento de carnes. Ela tem propriedades digestivas, anti-inflamatórias e anticoagulantes. Para que a bromelina seja melhor aproveitada, deve ser administrada por um médico.
Coma o quanto puder
Falso. Procure não exagerar devido à acidez. Consuma assim que descascá-lo, in natura de preferência. “Como suco, as fibras são trituradas e reduzem seu poder de ação. Em calda, possui maior teor de açúcar, devendo ser evitado em dietas emagrecedoras e por diabéticos”, destaca o médico. Atenção: verifique se o fabricante do abacaxi em calda enlatado possui certificação e a validade do produto.

RECEITAS COM ABACAXI

1 – XAROPE DE ABACAXI - Descascar e cortar em rodelas 1 ABACAXI e colocar em 1 pote de vidro, ou de louça ou cerâmica. Colocar da seguinte forma: 1 rodela de ABACAXI e cobrir com açúcar, outra rodela de ABACAXI e cobrir com açúcar, e assim por diante, consumindo mais ou menos ½ Kg de açúcar. Deixar descansar por 1 hora e logo depois levar ao forno. Quando o ABACAXI estiver desmanchando e cor de mel, estará pronto o xarope.
Adultos devem tomar 3 colheres de sopa por dia. Crianças tomam 1 colher de chá por dia.
Serve para PERDA DE VOZ, ROUQUIDÃO e BRONQUITE.
FONTE: 300 Receitinhas Naturais Para Sua Saúde (Frei Raul de Lima Sertã)

2 – Comer ABACAXI ou tomar o suco serve para 12 casos: males da GARGANTA, PRISÃO DE VENTRE, FÍGADO, evitar ou combater ARTERIOSCLEROSE, males da BEXIGA, males da PRÓSTATA, fazer voltar a MENSTRUAÇÃO, acabar com REUMATISMO, males dos RINS, fortalecer o CÉREBRO, fortalecer a MEMORIA e produzir OTIMISMO.

FONTE: 300 Receitinhas Naturais Para Sua Saúde (Frei Raul de Lima Sertã)


ADVERTÊNCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso.
2- Evite o uso de recipientes de alumínio.
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado).
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Projetos de plantas medicinais receberão apoio financeiro


http://www.brasil.gov.br/saude/2014/10/projetos-de-plantas-medicinais-receberao-apoio-financeiro
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative CommonsCC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil
O Ministério da Saúde divulgou, nesta sexta-feira (24), o resultado final do edital SCTIE/MS nº 1/2014, que apoiará projetos  na área de plantas medicinais e fitoterápicos. No total, foram selecionados 19 projetos. O resultado do edital foi publicado no Diário Oficial da União.

Entre os selecionados, 12 deles são voltados para a assistência farmacêutica em plantas medicinais e fitoterápicos, 5 para estruturação de Arranjos Produtivos Locais (APL’s) de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, no âmbito do SUS, e 2 para o desenvolvimento e registro sanitário de medicamentos fitoterápicos da Rename (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais), por meio de laboratórios públicos.

Reprodução
Reprodução


Serão investidos aproximadamente R$7,1 milhões para o desenvolvimento destes 19 projetos que estão ligados às secretarias de saúde municipais e estaduais de todo o país. Os recursos serão transferidos na modalidade fundo-a-fundo e utilizados na aquisição de equipamentos, insumos, contratação de serviços e capacitações. Os projetos serão desenvolvidos no âmbito do SUS de todas as regiões brasileiras.

Desde 2012, o Ministério da Saúde lança editais para apoio de projetos na área. Alguns deles, como os APL’s de Santarém (PA) e Pato Bragado (PR), têm tido experiências exitosas no uso dos recursos. A seleção que antes só apoiava projetos de APL’s foi mais abrangente este ano e passou a incluir projetos de assistência farmacêutica e laboratórios públicos.

"O Ministério da Saúde entendeu esta demanda e ampliou a seleção buscando fomentar a fitoterapia nos laboratórios públicos, ajudar no desenvolvimento local e na disponibilização de fitoterápicos eficazes, seguros e de qualidade aos usuários do SUS", explica a analista de políticas sociais do Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Ministério da Saúde, Letícia Mendes.

Histórico

Em 2006, foi publicada a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, cujas diretrizes foram detalhadas no Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, de 2008.

No Plano Plurianual 2012-2015 do governo federal, foi destinado recurso específico para o uso de plantas medicinais e fitoterápicos no âmbito do SUS. A partir de então, e somados aos de 2014, serão 66 projetos apoiados, totalizando investimento superior a 26 milhões de reais.

ADVERTENCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso.
2- Evite o uso de recipientes de alumínio.
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado).
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

ACELGA

      A ACELGA (couve chinesa ou beterraba branca - Beta vulgaris var. cicla), é uma hortaliça, que apresenta talos longos e firmes, as folhas podem ser baças ou brilhantes, de coloração verde ou avermelhada.
Contém quantidades consideráveis de niacinavitamina A e vitamina C. Além destas contém ésteres do ácido oxálico, o que pode prejudicar a absorção de cálcio pelos ossos.
Dela aproveita-se tanto talos quanto as folhas. Além disso, ela fica ótima crua e também refogada com azeite e alho. Além de proteger o fígado, a acelga auxilia no controle do diabetes, pois apresenta fibras e possui substâncias que causam regeneração das células do pâncreas, que é o local onde há a produção de insulina.
Além disso, a acelga também é fonte de vitamina A e C. Quem tem tendência a desenvolver cálculos renais, precisa maneirar na quantidade consumida desse alimento. "Há grande quantidade de oxalato na acelga, substância que pode se ligar ao cálcio e formar pedra no rim", explica nutricionista.
Na Argentina, a ACELGA é muito apreciada na culinária e é consumida em pizzas, na forma de bolinhos fritos e, principalmente, é consumida como ensopado junto com batata cortada em pedaços e temperada com alho frito em azeite. (FONTE: http://pt.wikipedia.org/wiki/Acelga)

RECEITAS QUE CURAM:
1 – Comer diariamente 1 salada de ACELGA temperada com um pouco de azeite e suco de limão.
Serve para RINS, BEXIGA, FÍGADO, INTESTINOS, PELE, ECZEMA, REUMATISMOS, COLITE e fortifica o CÉREBRO.

2 – ½ copo de suco de ACELGA com ½ copo de suco de AGRIÃO e uma colher de sopa de MEL desmancha e elimina pedras e areias da VESÍCULA.
Tomar esta dose diariamente até a cura completa.

3 – Para PRISÃO DE VENTRE basta tomar ½ copo de suco de ACELGA e 1 colher de sopa de AZEITE.


FONTE: 300 Receitinhas Naturais Para Sua Saúde (Frei Raul de Lima Sertã)

ADVERTÊNCIA ACURANATURAL

1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso.
2- Evite o uso de recipientes de alumínio.
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado).
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

ABÓBORA - RECEITAS NATURAIS

Nesta postagem mostraremos algumas receitas naturais para algumas doenças com a deliciosa ABÓBORA, As partes normalmente usadas são as folhas, flores, talos e sementes. A polpa, que é extremamente saborosa, é usada para pratos especiais, como por exemplo, o famoso "carne-seca com abóbora".

1 – Amassar 2 folhas e 2 flores de ABÓBORA e esfregar levemente na ERISIPELA. Desincha logo.

2 – Comer 2 sementes de ABÓBORA 3 vezes ao dia.
Serve para INFECÇÃO URINÁRIA e para a PRÓSTATA.

3 – Esmagar 1 talo de ABÓBORA até obter suco. Pingar 1 gota desse suco no OUVIDO que dói.

4 – Amassar 1 folha de ABÓBORA e colocar na testa. Faz passar a dor de cabeça.

5 – Comer sementes de ABÓBORA ameniza os vômitos na gravidez.

6 – Tomar 3 copos de purê de ABÓBORA ao dia: 1 de manhã, 1 ao meio-dia e outro à tarde.
Serve para RINS, INTESTINOS, FÍGADO, NEFRITE e para o fortalecimento do CÉREBRO.

FONTE: 300 Receitinhas Naturais Para Sua Saúde (Frei Raul de Lima Sertã)


ADVERTÊNCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso.
2- Evite o uso de recipientes de alumínio.
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado).
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

BRÓCOLIS - PROPRIEDADES MEDICINAIS E BENEFÍCIOS

Brócolis ou Brócolos - Brassica oleracea

Nome CientíficoBrassica oleracea

Propriedades Medicinais:
Rico em vitamina C, fósforo, potássio e enxofre.
É melhor consumi-lo em saladas cruas para aproveitar todo o seu valor nutritivo.
É um ótimo alimento para dietas de emagrecimento, já que produz uma limpeza geral do organismo e elimina gorduras.

BRÓCOLIS - Alimento rico em betacaroteno, vitaminas A e C, vitaminas do complexo B e ácido fólico, além de cálcio, potássio e selênio e com pequenas quantidades de fósforo. Devido ao alto teor de betacaroteno beneficia os olhos, a pele e os nervos, além de proteger contra diversas doenças degenerativas. A vitamina C aumenta as defesas do sistema imunológico e o cálcio fortalece os ossos. É ideal para as dietas de emagrecimento. 
Prefira os que apresentam as flores bem fechadas são os melhores.

Brócolos
Fortalece os Ossos
Protege a Visão
Previne o câncer
Protege o seu coração
Controla a pressão arterial

ADVERTÊNCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso.
2- Evite o uso de recipientes de alumínio.
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado).
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Fundamentos da medicina chinesa

Por Jingduan Yang, Epoch Times 07.11 às 10:38 

A acupuntura usa pequenas agulhas para equilibrar as energias yin e yang (China Photos/Getty Images)
A acupuntura usa pequenas agulhas para equilibrar as energias yin e yang (China Photos/Getty Images)

A medicina chinesa é um sistema completo de medicina, que apareceu pela primeira vez em forma escrita, por volta de 100 AC. Desde aquela época, a China, o Japão, a Coreia e o Vietnã têm desenvolvido suas próprias versões do sistema original chinês.

Qi (também escrito como “chi”) é um conceito essencial na medicina chinesa. Qi é uma forma de energia vital que existe tanto dentro como fora do corpo humano. A raiz de todas as funções do corpo humano e do universo que nos rodeia é uma forma de qi.

A medicina chinesa descreve a fisiologia e a psicologia humana baseada na teoria do qi, correlacionando o qi com processos físicos e mentais, e com estados emocionais. Diferentes tipos de qi comumente referidos na medicina chinesa, incluem o qi do sangue, o qi dos órgãos, o qi da nutrição, o qi meridiano e o qi patogênico. O qi patogênico pode entrar no corpo através de fontes como vento, umidade, calor, frio e secura.

A qualidade do qi é descrita em termos de Yin e Yang. Yin e Yang são energias opostas, mas existem independentemente. Qi yin é definido como energia fria ou refrescante, e qi yang como energia quente e de aquecimento.

Para ser saudável, a pessoa deve manter o equilíbrio entre o yin e o yang, porque o yang precisa se nutrir do yin para funcionar, e o yin precisa do yang para ser produzido e utilizado. Os seres humanos são considerados saudáveis quando o qi circula livremente e há um fluxo equilibrado de yin e yang.

Quando o qi yin está deficiente, então o yang está em excesso, e os sintomas como ondas de calor, suores noturnos, ansiedade, agitação, elevação da pressão arterial e constipação podem se manifestar.

Quando o qi yang está deficiente, então o qi yin está em excesso, e sintomas como sensação de frio, sensação de fadiga, diarreia, metabolismo lento com retenção de água, pressão arterial baixa e retardo psicomotor podem ocorrer.

Em chinês, as palavras utilizadas para expressar diferentes emoções são acompanhadas pela palavra qi. Por exemplo, a raiva é chamada de “qi da raiva” e alegria é chamada de “qi da alegria”. Por isso, quando uma intervenção é feita com a acupuntura ou a fitoterapia chinesa, ela não é feita somente visando afetar as funções físicas do corpo, mas também as funções mentais e emocionais.

Meridianos

O qi circula através dos canais de energia chamados de meridianos. Os meridianos formam um sistema parecido com uma teia, que conecta diferentes partes do corpo e fornece qi para todas elas. A medicina Chinesa relaciona cada meridiano com uma função mental, física ou emocional.

Na medicina chinesa, funções mentais e emocionais não estão confinadas ao cérebro, mas são vistas como interação entre o cérebro e os meridianos. Outra maneira de analisar a questão é que o cérebro faz parte de cada meridiano, e a saúde de cada meridiano afeta o cérebro.

O meridiano do pulmão está ligado à tristeza, e assim as pessoas em processo de luto podem ficar mais suscetíveis a infecções das vias respiratórias superiores. O modelo biomédico pode explicar essa reação em termos da diminuição da imunidade, devido ao estresse crônico induzido pela tristeza. A medicina chinesa caracterizaria o problema como um estresse emocional, causando um desequilibro no meridiano do pulmão, que gera a deficiência do qi.

Acupuntura

No Ocidente, um dos métodos mais bem conhecidos da medicina Chinesa é a acupuntura, a qual é também um dos métodos mais antigos de tratamento. Acupunturistas inserem agulhas extremamente finas em pontos estratégicos do corpo, a fim de reequilibrar o fluxo de yin e yang através dos meridianos.

Os tratamentos de acupuntura são utilizados isoladamente ou integrados à medicina convencional no tratamento de diversas condições psiquiátricas, como depressão, ansiedade, insônia, dores, toxicodependências.

Na medicina Chinesa, a depressão é vista como a maior manifestação psiquiátrica do excesso de qi yin e da deficiência de qi yang. Por outro lado, as manias são consideradas o oposto, sendo a maior manifestação do excesso de qi yang e deficiência de qi yin.

A transição anormal entre extremo yin e extremo yang é semelhante a distúrbios bipolares. Assim, os acupunturistas colocam agulhas no corpo com o objetivo de reequilibrar o yin e o yang.

Dr. Yang é psiquiatra credenciado e médico de quarta geração da medicina chinesa. Seu site é: taoinstitute.com

Em chinês, as palavras utilizadas para expressar diferentes emoções são acompanhadas pela palavra qi. 
Jingduan Yang
Doutor em medicina chinesa e membro da American Medical Association
Todo conteúdo desta matéria está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.

ADVERTENCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso.
2- Evite o uso de recipientes de alumínio.
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado).
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

domingo, 5 de janeiro de 2014

Goji Berry – superfruta aliada nas dietas de emagrecimento

 Copiado de Veja Abril http://veja.abril.com.br/blog/viver-bem/nutricao/goji-berry-superfruta-aliada-nas-dietas-de-emagrecimento/
em 02/01/2014 às 11:15


Começo de ano. Tempo de definição de novas metas. Emagrecer é quase que a meta número um para a maioria das pessoas. A goji berry (Lycium barbarum) é uma fruta pouco conhecida, mas já aparece nas dietas de emagrecimento. A fruta é pequena, de coloração laranja ou vermelho-alaranjado. Originária das regiões tibetanas e mongóis, essa fruta é comumente cultivada e consumida na Ásia, no Oriente Médio, na Grã-Bretanha e na América do Norte, e nos últimos anos ganhou atenção também no Brasil. A superfruta, de sabor azedo, é fonte de nutrientes (vitamina C, cálcio, magnésio, ferro, fósforo, zinco, sódio, fibras e antioxidantes), além de ter baixo valor calórico (aproximadamente 50 calorias em 1 colher de sopa), o que torna o alimento um aliado na busca do peso ideal. A goji berry é fonte dos fitoquímicos betacaroteno e zeaxantina, que atuam positivamente na saúde ocular, favorecendo a visão.
O conteúdo nutricional da fruta tem chamado a atenção de pesquisadores nos últimos anos. A revista Nutrition research publicou em 2009 um estudo feito com 50 indivíduos saudáveis (com idade entre 55 a 72 anos) durante 30 dias. A pesquisa indica que o suco de goji berry oferecido à população estudada, melhorou a capacidade antioxidante do organismo. O efeito antioxidante é benéfico, especialmente no combate à ação prejudicial dos radicais livres, que aceleram o envelhecimento precoce e participam do desenvolvimento de algumas doenças crônicas.

Onde comprar: A fruta pode ser encontrada em lojas de produtos orientais ou naturais e também em alguns supermercados.

Sugestões de uso: - A fruta pode ser consumida crua, desidratada (passas), em sucos ou chás ou ainda em pó.
- A fruta seca, poderá ser lavada e hidratada (deixada de molho na água por 15 minutos) antes de consumir, para ficar mais macia.
- A goji berry em passas pode ser consumida pura, como lanche no meio da manhã ou à tarde, ou servida com cereais, iogurte, açaí e sorvete.
- Pode-se misturar a goji com outras frutas secas ou passas.
- Pode ser servida em preparações salgadas (ensopados ou assados).

Atenção: - É recomendável a orientação do seu médico ou nutricionista, antes de aderir à suplementação nutricional (de qualquer alimento ou nutriente).
- Identificou-se o risco de reação alérgica em indivíduos que apresentam alergia ao látex e consomem a fruta goji berry. Assim, na presença de alergias, especialmente ao látex, consulte o seu médico antes de iniciar o consumo dessa fruta.

É importante lembrar que não devemos supervalorizar um alimento. A goji berry poderá compor um cardápio equilibrado e balanceado, com a oferta de outras frutas, feijões, sementes, castanhas, hortaliças, carnes e laticínios magros e cereais integrais. A prática regular de atividade física regular também é fundamental para os benefícios à saúde e favorece o emagrecimento saudável.

ADVERTENCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso.
2- Evite o uso de recipientes de alumínio.
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado).
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Entendendo a fitoterapia chinesa – Parte 1 e 2


Dr. Yang é psiquiatra credenciado e médico de quarta geração da medicina chinesa (Epoch Times)

A fitoterapia chinesa é uma das principais modalidades de cura clínica do antigo sistema médico chinês. No entanto, não é tão bem conhecida no ocidente como a acupuntura, possivelmente porque é mais complexa e seus efeitos não são tão imediatos quanto os da acupuntura, a qual pode reduzir rapidamente a dor.
Além de empregar ervas ou plantas, a fitoterapia chinesa também utiliza minerais, insetos (por exemplo: o bicho-da-seda é utilizado para tratar a pele), criaturas marinhas como conchas de ostras, e partes de animais maiores como ossos de tigres.
As pessoas que procuram a ajuda de um médico de fitoterapia chinesa ficam confusas sobre o efeito que o medicamento pode trazer para eles, como os medicamentos funcionam e como são preparados.
Um dos equívocos mais comuns que as pessoas têm da fitoterapia chinesa, é achar que ela utiliza agentes químicos e outros medicamentos ou vitaminas. De fato, há um grande número de agentes químicos em cada uma das ervas individuais, e às vezes também contêm extratos, que são componentes químicos específicos usados no medicamento.
Por exemplo, a malária pode ser tratada com extratos de Artemísia Apiáceas (Qinghao). No entanto, na prática da fitoterapia chinesa, os ingredientes não são escolhidos com base nos seus componentes químicos, mas na energia contida na mistura como um todo.
Por exemplo, a astrágalo, que é bastante utilizada, é doce, e tem uma afinidade com os meridianos do pulmão, baço e rins. Porque o qi do baço é a principal energia usada para a absorção de alimentos, para o metabolismo, e para a imunidade. A astrágalo é eficaz para a má absorção dos nutrientes, metabolismo lento, órgãos prolapsados, para modular a imunidade e prevenir infecções por bactérias e vírus.
O qi dos rins regula a micção; portanto a astrágalo também é eficaz para a disfunção urinária causada por um aumento da próstata. Para o tratamento de diferentes tipos de doenças, tais como diabetes, doenças cardiovasculares, acidentes vasculares cerebrais e os efeitos colaterais da quimioterapia, ela é usualmente combinada com outras ervas.
As pessoas muitas vezes pensam que podem tomar o mesmo remédio fitoterápico para sempre, assim como eles tomam outros alimentos e suplementos nutricionais. A fitoterapia provoca mudanças na condição da energia do corpo, então os ingredientes e suas dosagens precisam ser modificados a cada uma ou duas semanas, ou periodicamente, dependendo da situação do indivíduo.

A fitoterapia chinesa utiliza minerais naturais, plantas e substâncias animais como medicamentos. Essas substâncias têm efeitos colaterais mínimos quando tomadas no momento certo, para a doença certa. No entanto, tomá-las de forma errada pode ser prejudicial.
Por exemplo, a erva astrágalo (Huangqi) deve ser tomada com cuidado por aqueles que possuem pressão arterial elevada ou febre alta, devido a possíveis infecções agudas.
É essencial para qualquer um que queira se beneficiar da fitoterapia chinesa, que se consulte com um doutor de medicina chinesa, para obter uma avaliação com base nas teorias e técnicas de diagnostico da medicina chinesa, incluindo as leituras do pulso e da língua.
Quando avaliar um paciente, o profissional de medicina chinesa deve primeiro identificar quais meridianos e órgãos estão desequilibrados. Por exemplo, os meridianos do fígado e estômago são frequentemente afetados pela indigestão. O profissional deve determinar a natureza da energia que está fora de equilíbrio: como muita energia ou pouca energia, energia estagnada, bloqueada ou se movendo na direção errada.
Tomemos o refluxo ácido como exemplo. Pode ser que exista energia estagnada no fígado, afetando o fluxo de energia do estômago, que está agora se movendo na direção errada. Se for uma condição crônica, o paciente pode ficar muito cansado e desnutrido.
Sofrimento emocional, raiva e especialmente ressentimento, muitas vezes causam estagnação na energia do fígado. Pacientes com este tipo de desequilíbrio podem também sofrer de enxaquecas, depressão, insônia, irritação intestinal e dores crônicas nos tecidos profundos.
Quando um doutor de medicina chinesa reúne todas as informações, ele formula um diagnóstico de desequilíbrio energético, e formula um remédio individual de medicina chinesa.

Quatro tipos de ervas

Na maioria dos casos, quatro tipos de ervas são incluídas na fórmula. A primeira é chamada de “imperador”. O imperador representa as ervas que tratam os principais sintomas e suas causas subjacentes.
A segunda é chamada “ministro”. O ministro ajuda o imperador a realizar um melhor trabalho, e também trata os sintomas acompanhantes e suas causas subjacentes.
O terceiro é chamado de “assistente”. O assistente é a erva que ajuda ambos os imperador e ministro, e também harmoniza a fórmula eliminando possíveis toxinas e efeitos colaterais.
A quarta é chamada de “embaixador”. O embaixador é a erva que garante que a fórmula alcance os órgãos e meridianos específicos. Cada tipo pode ser constituído por mais de uma erva.
Muitas vezes, para o tratamento com ervas tradicionais, os pacientes fazem uma decocção (preparo medicinal) utilizando uma fórmula com ervas puras. Deve-se seguir as instruções e procedimentos específicos, e beber a decocção duas vezes ao dia, normalmente sem alimentos. As vezes, extratos concentrados de ervas também podem ser feitos em cápsulas.
Os pacientes, muitas vezes, são aconselhados a não comerem alimentos frios, crus, picantes, ou alimentos quentes e picantes.
Tradicionalmente, a acupuntura é administrada diariamente, mas ela é usada com muito menos frequência nos Estados Unidos. No tratamento de doenças complicadas e crônicas, e no tratamento de pacientes que são muito deficientes em energia, a união da fitoterapia chinesa com a acupuntura pode ser inestimável.

Dr. Yang é psiquiatra credenciado e médico de quarta geração da medicina Chinesa. Seu site é Taoinstitute.com
Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.


ADVERTENCIA ACURANATURAL


1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso. 

2- Evite o uso de recipientes de alumínio. 

3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado). 

4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

ERISIPELA

Erisipela é uma forma de celulite superficial estreptocócica e o agente causal é o estreptococo beta-hemolítico do grupo A de Lancefield. Ocorre habitualmente na face e nos membros inferiores. A infecção é universal e não tem maior prevalência em determinado grupo etário. É muito comum em obesos, diabéticos, com insuficiência circulatória de extremidades.
A penetração do estreptococo para produzir erisipela ocorre por soluções de continuidade da pele (fissuras, escoriação, intertrigo, lesões micotizadas e com maceração).

Como evitar a infecção? 

Como a porta de entrada para a infecção bacteriana são lesões decorrentes de cortes, quedas, arranhões, etc, a melhor maneira é evitar que tais acidentes ocorram. No entanto, caso ocorram estes acidentes, deve-se fazer uma higienização imediata do ferimento para que haja o fechamento mais rápido da lesão, evitando assim a infecção bacteriana. Entretanto, especialmente na presença de fatores predisponentes, a erisipela pode cursar com recorrências freqüentes, existindo diversos relatos de profilaxia eficaz dessas, através do uso prolongado de antibiótico. Assim, a proteção conferida pela profilaxia restringe-se ao período em uso de antibióticos, de modo que esse deve ser usado por tempo indeterminado. A profilaxia deve restringir-se a pacientes com fatores predisponentes bem definidos após a primeira ou segunda recorrência, ou naqueles sem fator predisponente definido, mas com uma inequívoca tendência a recorrência crônica e freqüente.

Tratamento

1) Repouso absoluto no leito, principalmente quando o processo acomete o membro inferior;

2) Antibioticoterapia: a droga de escolha é a penicilina e a dose é variável de acordo com a intensidade do quadro. Pode ser associada sulfa de eliminação lenta (sulfadimetoxina) após a fase aguda, para evitar a recaída, é conveniente administrar penicilina durante três ou quatro semanas, sob a forma de penicilina de eliminação lenta (Penicilina Benzatina 1.200.000 UI uma vez por semana ou sulfadimetoxina, o equivalente de 0,5 a 1,0 g/dia).

3) Nos casos de erisipela do membro inferior é necessário que o doente mantenha os pés elevados à noite e , se houver edema vespertino, deve usar por algum tempo meia elástica. Em caso de alergia à penicilina ou à sulfa, empregar outros antibiótoticos, tais como eritromicina.

O quadro extremo e dramático de elephantiasis nostras é consequente a numerosos surtos de erisipela em pacientes com vulnerabilidade vascular congênita ou familiar.

Quais os métodos caseiros que podem ser utilizados para melhorar os sintomas? 

Repouso
Manter as pernas elevadas quando os membros inferiores são acometidos para facilitar o retorno venoso e evitar o agravamento do edema. A pele deve ser protegida contra traumas e coçagens, principalmente quando se trata de crianças. O uso de luvas é indicado para crianças assim como o corte rente das unhas.

Quando há lesões superficiais abertas, usam-se localmente compressas mornas de permanganato de potássio, (1: 8.000), água de Alibour (1: 8) e pomadas de Óxido amarelo de mercúrio a 1% ou de antibióticos 

(Rifamicina, ácido fucídico). O permanganato de potássio é um método seguro porque, além de ser anti-séptico, promove uma cicatrização mais rápida da lesão.

Utilizam-se também bolsas de gelo e compressas frias. A água utilizada deve ser previamente fervida e depois resfriada para evitar uma contaminação ainda mais grave da lesão.

Os antibióticos de uso externo devem ser usados com cautela e de acordo com orientação medica.



============ ========= ========= ========= ========= ========= ========= ==

Tratamentos naturais

1 - INHAME - O melhor remédio para esta doença de pele, além da reza, é alimentar-se de bastante inhame.

2 - Externamente aplique três vezes ao dia, figo da índia ou tuna ralado.

3 - Argila medicinal, hortelã, saião, sabugueiro, erva-de-bicho, aroeira, cipó-imbé, velame, maracujá e fedegoso.

4 - BABOSA - Coloque a mucilagem da babosa em cima das feridas e coloque gaze por cima para segurar.

5 - ERVA MACAÉ "Leunurus sibiricus" - Indicada nas doenças de pele e erisipela, combater o colesterol e a pressão alta.

6 - Extrato de Aloe Vera + própolis

7 - EMBAÚBA - o chá da folha é remédio para o coração; a flor, para bronquite e tosse (junto com o broto); o suco da raiz aumenta a força do coração, é diurético e melhora a falta de ar; a folha e a casca, contra tosse e asma; e a fruta, a folha e o broto, contra feridas, erisipela, doenças de olhos, diabetes diarréias e corrimentos. 

8 - Melancia - É considerada uma fruta refrescante. A melancia cai bem em dias quentes e para quem quer emagrecer. Ela é uma das frutas mais ricas em vitaminas vendidas no Brasil: vitaminas A, C, B1 (tiamina) , B2 (riboflavina) , B6, B12, niacina, ácido fólico, ácido pantotênico e biotina. As sementes da melancia são utilizadas em algumas regiões do país para fazer uma bebida diurética e vermífuga, denominada orchata. 
É indicada para problemas reumáticos, ascites e obstruções renais. 
Além disso tem interferência no controle da acidez estomacal e bronquites crônicas. 
No tratamento da erisipela aplicar cataplasmas locais da polpa e cascas trituradas. Mas atenção, a fruta deve ser consumida fresca e madura porque se não pode provocar cólicas e disenterias.
Com o uso da melancia em abundância, curam-se ou combatem-se as enfermidades da pele.
Exteriormente, usa-se a melancia no tratamento da erisipelaAplica-se triturada, polpa e casca, em cataplasmas, ou o suco em pinceladas.


9 - MARACUJÁ - Erisipela, Emenagoga: Faça uma infusão com 2 xícaras (café) de folhas picadas de Maracujá (Passiflora edulis) em 500 ml de água SEM SER ABAFADO, pois as folhas quando picadas liberam gás cianídrico, que é venenoso, tomar 2 xícaras (chá) ao dia.

OUTRAS FONTES SOBRE ERISIPELA

Doença de pele que surge quando o sangue está impuro. Um ótimo remédio para esta doença é alimentar-se com bastante inhame. Externamente use figo da índia ou tuna ralado, aplicando sobre o local afetado 3 vezes ao dia. Babosa esmagada sobre a erisipela também é bom. 
Evite alimentos gordurosos, frituras, pimentas e carnes, principalmente a de porco.


ADVERTENCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso. 
2- Evite o uso de recipientes de alumínio. 
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado). 
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.

Share It